GERAIS

Acusada de tentativa de homicídio é absolvida

14 mar, 2019

Através de um trabalho do Escritório Renato Furtado e Advogados Associados foi absolvida a acusada Claudineia Aparecida de Oliveira Rosa, 25 anos, que respondia a processo de tentativa de homicídio. Os advogados Renato Furtado e Ricardo Gomes conseguiram essa absolvição já que a Justiça reconheceu como legítima defesa. Claudineia – que chegou a ficar presa por 47 dias – está livre e com a ficha limpa.

O fato aconteceu na madrugada do dia 20 de junho de 2018, no Mega Lanches, situado na rotatória da avenida JK – um local de grande movimento. Na data, ela estava em uma mesa acompanhada do esposo Juliano Silva Jonas, 25 anos e de amigos, quando passaram a ser importunados e provocados por pessoas que chegaram ao local em um carro.

Após essa atitude, ocorreu um desentendimento entre as pessoas da mesa e aqueles que haviam descido do carro, o que gerou uma briga generalizada, após Claudinea levar um tapa no rosto. Um amigo dela foi agredido com uma garrafada. Nesse momento, temendo pelo pior, ela buscou uma arma no veículo de seu esposo e, ao tentar efetuar tiros para cima para dispersar os agressores, um dos disparos acabou atingindo um deles.

Para o advogado Renato Furtado, a absolvição foi bastante satisfatória porque sua cliente não chegou ir a júri, o que é normal acontecer por se tratar de crime contra a vida. Segundo ele, desde o início, eles trabalharam com a tese de legítima defesa, sendo acatado pelo Ministério Público e pelo juiz de Direito, Gustavo Moreira. “A gente buscou as provas, filmagens e depoimentos que favoreceram Claudineia, de maneira que obtivemos êxito com a absolvição dela”, diz.

Ricardo Gomes enfatizou que Claudineia e seu esposo Juliano eram primários, sendo que nunca responderam por nenhum processo criminal ou se envolveram com problemas desta natureza. Por isso, nem mesmo tentaram fugir e, assim, foram presos em flagrante na residência deles. “Ficou uma sequela emocional e psicológica, por ter ficado presa por 47 dias, longe da família e da filha de apenas três anos. Mas procuramos atender o caso com muita atenção e dedicação e assim foi feita a justiça”, comenta.

Claudineia diz ter ficado muito feliz pelo resultado da sentença. “Esse fato mudou muito minha cabeça e minha vida. Depois de passar por tudo e ficar longe da família, meus pensamentos são outros. Só tenho a agradecer a Deus, aos advogados e apoio de familiares e amigos”, conclui.