GERAIS

Casos de dengue no Triângulo Mineiro têm nova alta

15 mar, 2019

Após duas semanas sem divulgação, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) apresentou nesta terça-feira (12) mais um Boletim Epidemiológico referente aos casos de dengue, zika e chikungunya no estado.

Conforme os dados divulgados, com levantamentos compreendidos no período entre 1º de janeiro e 12 de março, os números de casos prováveis de dengue mantiveram os índices nas escalas e “alta” e “muita alta” nos municípios do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

Até o momento, 22 cidades da região estão com o índice considerado “muito alto” para dengue. Uberlândia, com 5.642 casos prováveis, segue em estado de alerta para a doença. No município, uma morte em decorrência da doença já foi confirmada. Esta confirmação, inclusive, motivou o Ministério Público a instaurar um inquérito para apurar essa morte e outras que estão sob investigação.

Porém, outras cidades também estão com números preocupantes. É caso de Araguari (1.106 casos), João Pinheiro (942), Frutal (581) e Prata (422), todos com índice “muito alto”. Já Uberaba, com 1.165 casos prováveis, e Ituiutaba, com 467, têm índice considerado “alto”.

Outro município que apresenta aumento vertiginoso é Araxá. Até o dia 11 de março foram 29 casos prováveis da doença. No mesmo período do ano passado apenas um caso foi registrado na cidade.

 

Zika

Em todo estado, até o momento foram registrados 187 casos prováveis de zika, sendo 46 em gestantes com três confirmações laboratoriais até o momento. Casos prováveis de zika em gestantes foram registrados em 19 municípios, com destaque para: Ituiutaba, com nove casos (6 gestantes), e Uberlândia sete casos (4 gestantes).

Este ano foram processadas para zika 830 amostras de 125 municípios de Minas Gerais. Até o momento, são cinco amostras positivas para zika dos municípios de Aimorés, Betim, Gameleiras, Turmalina e Uberlândia.

Na região, aparecem casos prováveis da doença em oito municípios. Ituiutaba tem nove casos, Uberlândia, sete, e Prata tem cinco casos prováveis.

Chikungunya

Em 2019, até o momento, não foram registrados óbitos suspeitos de chikungunya. Contudo, o número de casos prováveis é de 640 até o boletim divulgado nesta terça-feira (12).

Nas regiões do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste, 15 cidades têm casos prováveis de chikungunya, sendo todas classificadas com incidência baixa da doença. No último boletim, eram 9 municípios.

Araguari, com 19 casos, e Uberlândia, com 18, são as cidades com mais casos prováveis da doença, sendo classificadas com índice baixo da doença. Já Limeira do Oeste, com nove casos, tem incidência considerada média pela SES-MG.