POLÍCIA

Padrasto é acusado de estuprar a enteada em Frutal

26 04 2018 - homicídio

26 abr, 2018

Uma menina de cinco anos foi estuprada pelo padrasto na noite de domingo (22), no bairro Progresso, em Frutal. Segundo ocorrência registrada pela Polícia Militar, a mãe da criança, de 25 anos, foi quem denunciou o crime. Ela acionou a PM, após flagrar o namorado abusando sexualmente da filha.

Em depoimento à PM, a mulher afirmou que deixou a filha com o padrasto às 18h30min para levar a mãe ao médico, e quando retornou cerca de uma hora depois, flagrou ele nu, deitado em cima da criança, que também estava sem suas roupas. O nome do suspeito não pode ser divulgado.

A mãe relatou ainda que ao ser flagrado praticando o crime, o padrasto trancou a porta do quarto em que estavam e tentou ludibriá-la a não chamar a polícia. Mas ela conseguiu sair e buscar pedir por ajuda. O homem então fugiu e não mais foi visto. Suspeita-se que ele tenha deixado a cidade.

Levada pela Polícia Militar para o Hospital Frei Gabriel, a menina passou por exames que confirmaram a violência sexual. Um novo laudo, feito a partir de vestígios coletados no corpo da criança, ainda será realizado pela perícia técnica da Polícia Civil. O objetivo é confirmar a autoria do estupro.

O delegado Fabrício Oliveira Altemar, titular da Delegacia Regional de Polícia Civil em Frutal, declarou que não faltará empenho da equipe na investigação desse bárbaro crime, nem tão pouco determinação dos delegados e investigadores na localização do acusado.

“Ainda no fim de semana, o delegado Bruno Giovanini instaurou o inquérito. Ele, inclusive, já colheu o depoimento da mãe, que á a principal testemunha, e representou pela prisão do suspeito. Aguardamos agora somente o parecer do Ministério Público e a decisão do Poder Judiciário”, afirmou.

Fabrício ressalta que a Polícia Civil tem buscado informações sobre o acusado em seu estado de origem. “Estamos trabalhando para ter a ficha completa dele. Também iremos procurar saber se ele praticou o crime outras vezes, pois é sabido que ele ficou sozinho com a criança outras vezes”, contou o delegado.