POLÍCIA

PF investiga circulação de notas falsas em Uberaba

15 jul, 2019

Após inúmeros casos de notas falsas apreendidas em Uberaba nas últimas semanas, a Polícia Federal faz investigações para descobrir a origem da distribuição destas cédulas na cidade, principalmente no comércio.

Do começo do ano até agora, a Delegacia de Polícia Federal (DPF) de Uberaba realizou 14 prisões em flagrante delito de pessoas que colocaram notas falsas em circulação. Em menos de um mês, o G1 noticiou sete casos de moeda falsa no município.

Ainda segundo o delegado, neste ano já foram apreendidas notas falsas de R$ 5 e R$ 100, mas, em maioria, as notas são de R$ 50.

Como identificar uma nota falsa

Por causa desta circulação de notas falsas em Uberaba, o G1 reuniu dicas de como identificar se o dinheiro é verdadeiro ou não com base em orientações dadas pelo Banco Central.

Segundo o órgão, existem, pelo menos, dez pontos de diferença que facilitam a identificação de uma cédula que não é verdadeira. É importante ficar atento à textura do papel, que é mais áspera que o papel comum, o alto relevo e olhar a marca d’água.

Ao segurar a cédula contra a luz, pode-se observar se aparecem as figuras que representam os animais, como uma marca d’água. Nas notas de R$ 10 e R$ 20, os números mudam de cor. Todas as notas contém um fio de segurança. As de R$ 50 e R$ 100 também têm uma faixa holográfica, que fica no canto da cédula.

O Banco Central também disponibiliza o aplicativo “Dinheiro Brasileiro”, que pode ajudar a tirar algumas dúvidas. Ele não reconhece se uma cédula é falsa ou verdadeira, mas auxilia na identificação dos elementos de segurança.

O funcionamento do aplicativo é simples. A própria câmera do celular ou do tablet reconhece a nota. O sistema exibe todos os itens de segurança que precisam ser verificados, como a marca d’água e o fio de segurança.

Na cédula de R$ 50, por exemplo, a onça muda de cor. A informação também aparece por escrito, em português, inglês e espanhol e vale para todas as notas das duas famílias do real: a nova e a antiga.

Além do aplicativo, o Banco Central tem uma página na internet que ajuda a identificar notas falsas.

Aplicativo 'Dinheiro Brasileiro' do Banco Central, auxilia na identificação de cédulas falsas — Foto: Reginaldo dos Santos/EPTVAplicativo 'Dinheiro Brasileiro' do Banco Central, auxilia na identificação de cédulas falsas — Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV

Aplicativo ‘Dinheiro Brasileiro’ do Banco Central, auxilia na identificação de cédulas falsas — Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV

O que fazer quando receber nota falsa?

Quem receber uma nota falsa deve procurar a Polícia Militar (PM) ou a Polícia Federal. Colocar em circulação, adquirir ou guardar nota falsa é crime, conforme o artigo 289 do Código Penal, e pode dar de três a 12 anos de prisão, além de multa.

A pessoa suspeita de colocar nota falsa em circulação é encaminhada à Polícia Federal, onde o delegado vai analisar o caso. Se confirmado que a pessoa cometeu o crime de moeda falsa, ela é presa e levada ao sistema penitenciário.

Caso o suspeito seja um adolescente, a atuação é da Polícia Civil, que vai encaminhá-lo ao juízo da infância e juventude, que vai determinar a medida a ser tomada.

Fonte: G1 – Triângulo Mineiro